Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bd.centro.iff.edu.br/jspui/handle/123456789/496
Título: Ensino e aprendizagem de geometria espacial
Título(s) alternativo(s): uso de material manipulável e software no desenvolvimento da habilidade de visualização espacial
Autor(es): Gomes, Carina da Silva
Barreto, Karine Gomes
Palavras-chave: Geometria - Estudo e ensino
Matemática - Estudo e ensino
Data do documento: 5-Nov-2010
Abstract: In this work, we propose activities that aid the development of spatial ability, in order to make teaching and learning of Spatial Geometry easier. To this end, software Wingeom and concrete materials are used. According to Kaleff (2003), spatial ability is vital to the comprehension of Spatial Geometry's concepts, not only to the student, but to the teacher as well. On the other hand, Lima (2001) sustains that, in text books, Spatial Geometry is poorly treated, their study of areas and volumes being mainly arithmetic. Therefore, there's a gap between spatial ability and construction of Spatial Geometry's concepts that needs to be exposed and fulfilled. We don’t intend to fulfill it. Our goal is to expose it. Not only academically but also professionally important to artists, engineers, architects, doctors, designers and others, but put aside for decades, spatial visualization ability little by little reappears as an area of interest to Mathematics Education in Brazil. This rediscovery will certainly bring good news to everyone that studies or works this aspect of human cognition, especially to those who believe they ―don’t have spatial vision‖. For a long time considered a ―gift‖, it has been proved to be an ability, so it can be developed through adequate exercises. This development consists of several stages that won’t be all reached at once. Our analysis’ results are mainly attitudinal and qualitative, as it should be in case studies (PONTE, 2006). With this work, we intend to draw attention to the fact, so important and yet so poorly explored, that spatial ability development is possible. We believe to be giving a positive contribution to teaching and learning of Spatial Geometry, because the student will be aware of his potential, and the teacher will have the means to encourage and aid his development. At the same time, teachers with spatial ability difficulties will be able, with adequate training, to overcome this obstacle and, more confident of themselves, better guide the students in the construction of their own knowledge.
Resumo: Neste trabalho são propostas atividades que auxiliam no desenvolvimento da habilidade de visualização espacial, facilitando assim o ensino e a aprendizagem de Geometria Espacial. Para este fim são utilizados materiais concretos e o software Wingeom. Segundo Kaleff (2003), a habilidade de visualização espacial é imprescindível para o entendimento dos conceitos de Geometria Espacial, tanto para o aluno quanto para o professor. Por outro lado, Lima (2001) afirma que, nos livros didáticos, a Geometria Espacial é tratada de modo insatisfatório, sendo o estudo de áreas e volumes predominantemente aritmético. Há, então, uma lacuna entre a habilidade de visualização espacial e a construção de conceitos em Geometria Espacial, que precisa ser exposta e preenchida. Não ambicionamos preenchê-la. Nosso objetivo é expô-la. Importante não só na vida acadêmica como profissional de artistas, engenheiros, arquitetos, médicos, designers e outros, mas colocada em segundo plano durante décadas, a habilidade de visualização espacial ressurge aos poucos como área de interesse da Educação Matemática no Brasil. Esta redescoberta com certeza trará bons frutos para quem estuda ou trabalha com este aspecto da cognição humana, principalmente para os que acreditam ―não ter visão espacial‖. Durante muito tempo considerada um ―dom‖, hoje é comprovadamente uma habilidade, e como tal, pode ser desenvolvida através de exercícios adequados. Este desenvolvimento passa por várias etapas, que não serão vencidas de uma só vez. Nossa análise de resultados é primordialmente atitudinal e qualitativa, como deve ocorrer em estudos de caso (PONTE, 2006). Com este trabalho, pretendemos chamar atenção para o tema, tão importante e ainda tão pouco explorado, da possibilidade de desenvolvimento da habilidade de visualização espacial. Acreditamos contribuir positivamente para o ensino e aprendizagem de Geometria Espacial, pois o aluno saberá que tem potencial, e o professor terá meios para incentivar e facilitar seu desenvolvimento. Da mesma forma, o docente com dificuldade de visualização espacial conseguirá, por meio de treinamento adequado, superar este obstáculo e, mais seguro de si, orientar melhor os alunos na construção de seu próprio conhecimento.
URI: http://bd.centro.iff.edu.br/xmlui/handle/123456789/496
Aparece nas coleções:Trabalhos de Conclusão de Cursos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Documento.pdf3,53 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.