Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bd.centro.iff.edu.br/jspui/handle/123456789/1943
Título: Fungos Micorrízicos Arbusculares (FMAs) e Dark Septate Endophytes (DSE): identificação em vegetais do manguezal de Gargaú, São Francisco de Itabapoana, RJ (Brasil)
Autor(es): Alencar, Thais dos Santos
Palavras-chave: Metais pesados
Hidrocarbonetos de petróleo
Manguezais
Biorremediação
Data do documento: 2016
Editor: Victor Barbosa Saraiva
Resumo: Although the mangrove is an ecosystem with high productivity and importance, it is vulnerable to various impacts as contaminant input. Heavy metals and petroleum hydrocarbons are among those that threaten the functioning and balance of mangroves. Characteristics of its sediment and its coastal location contribute to retention and deposition of pollutants. This paper presents an overview of mangroves, their importance and contamination by heavy metals and petroleum hydrocarbons (scientific article I). The second article that makes up this thesis sought to investigate the occurrence of Arbuscular Mycorrhizal Fungi (AMF) and Dark Septate Endophytes (DSE) in association with plants mangrove of Gargaú, São Francisco de Itabapoana, RJ. The scientific literature has reported the importance of these fungi on the survival of plants in places with metals and hydrocarbons, and also in the bioremediation of contaminated sites for these and metals stabilization. Research seeking ecological alternatives mangroves remediation need to advance because of the importance of the ecosystem and be subject to contamination. This study evaluated the occurrence of these fungi and frequency of colonization in seedling roots collected in mangrove of Gargaú. Spores of AMF were separated and quantified of collected sediment samples. The roots were observed to be colonized by AMF and DSE. The AMF colonization rate was 18% in BF (Buraco Fundo) and 72% in BR (Braço do Rio). In BF the rate of colonization by DSE was 29% and in BR of 47%. An average of 6 spores per 50 mL of soil were found in BF and 5 in BR. These results are relevant since few studies have been conducted on the presence of AMF and DSE in mangroves worldwide. In Brazil there are no reports of occurrence of these fungi in mangroves. Given the importance of these environments contaminated by metals and hydrocarbons, it is considered that the AMF and DSE are promising bioremediation alternatives in impacted mangroves, suggesting that research advance in checking your potential biorremediador and in the plant tolerance of this ecosystem.
Descrição: Embora o manguezal seja um ecossistema com grande produtividade e importância, está vulnerável a diversos impactos como o aporte de contaminantes. Metais pesados e hidrocarbonetos de petróleo estão entre os que mais ameaçam o funcionamento e equilíbrio de manguezais. Características de seu sedimento e sua localização costeira contribuem para retenção e deposição destes poluentes. Este trabalho apresenta uma revisão sobre manguezais, sua importância e contaminação por metais pesados e hidrocarbonetos de petróleo (artigo científico I). O segundo artigo que compõe esta dissertação buscou investigar a ocorrência de Fungos Micorrízicos Arbusculares (FMAs) e Dark Septate Endophytes (DSE) em associação com vegetais do manguezal de Gargaú, São Francisco de Itabapoana, RJ. A literatura científica tem relatado a importância destes fungos na sobrevivência de plantas em locais com metais e hidrocarbonetos e também na biorremediação de locais contaminados por estes e na estabilização de metais. Pesquisas que busquem alternativas ecológicas de remediação de manguezais precisam avançar devido à importância do ecossistema e por estar sujeito à contaminação. Neste trabalho foi verificada a ocorrência destes fungos e frequência de colonização em raízes de plântulas coletadas no manguezal de Gargaú. Esporos de FMA foram separados e quantificados de amostras de sedimento coletadas. Observou-se que as raízes estavam colonizadas por FMA e DSE. A taxa de colonização por FMA foi de 18% em BF (Buraco Fundo) e de 72% em BR (Braço Rio). Em BF a taxa de colonização por DSE foi de 29% e em BR de 47%. Uma média de 6 esporos por 50 mL de solo foram encontrados em BF e de 5 em BR. Estes resultados são relevantes uma vez que poucos estudos têm sido conduzidos sobre a presença de FMA e DSE em manguezais em todo mundo. No Brasil não há relatos da ocorrência destes fungos em manguezais. Dada a importância dos mesmos em ambientes contaminados por metais e hidrocarbonetos, considera-se que os FMAs e DSE são alternativas promissoras de biorremediação em manguezais impactados, sugerindo-se que pesquisas avancem na verificação de seu potencial biorremediador e na tolerância de vegetais deste ecossistema.
URI: http://bd.centro.iff.edu.br/jspui/handle/123456789/1943
Aparece nas coleções:Pós-graduação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Texto.pdf1,96 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.