Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bd.centro.iff.edu.br/jspui/handle/123456789/1928
Título: A formação de um território negro no espaço universitário de Campos dos Goytacazes
Autor(es): Gabby, Maturana Teixeira
Palavras-chave: Geografia - Estudo e ensino
Universidades e faculdades - Campos dos Goytacazes - RJ
Data do documento: Dez-2017
Orientador(a): Sérgio Risso
Abstract: The territory is a key concept for the understanding of the power relations that are established in a determined space of the social dynamics. The field chosen for the analysis of the construction of a territory were the two public universities in the municipality of Campos dos Goytacazes / RJ, the Norte Fluminense State University (UENF) and the Campos dos Goytacazes Campus of the Fluminense Federal University (PUCG-UFF). Thus, this research had the purpose of investigating whether affirmative policies and actions that contributed to the construction of a black territory in these universities. In this sense, the black students would challenge the still structurally white university model incapable of understanding and, therefore, adapting to the demands of this group of students who organized and created a space of self-organization to fight for their demands. This space of self-organization is called The Mercedes Batista Black Collective in PUCG-UFF and The José do Patrocínio Black Collective in the UENF. Finally, semi-structured interviews were carried out, which were extremely important for the understanding of how Afro-Brazilian students feel when they are part of a still largely white space. As a result of this research it was possible to perceive that the need to remain in universities made these spaces territories of the Afro-Brazilian students resistance. The bibliographical survey on the concepts of territory and territoriality was adopted as methodology.
Resumo: O território é um conceito chave para o entendimento das relações de poder que se estabelecem em um determinado espaço da dinâmica social. O campo escolhido para a análise da construção de um território foram as duas universidades públicas no município de Campos dos Goytacazes/RJ a Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) e a e o Polo Universitário Campos dos Goytacazes da Universidade Federal Fluminense (PUCG-UFF). Desse modo essa pesquisa teve como proposta investigar se as políticas e ações afirmativas contribuíram para a construção de um território negro nessas universidades. Nesse sentido os estudantes negros contestariam o modelo de universidade ainda estruturalmente branco incapaz de compreender e, portanto de se adequar as demandas desse grupo de estudantes que se organizaram e criaram um espaço de auto-organização para lutar por suas demandas. Esse espaço de auto-organização no PUCG-UFF denomina-se Coletivo Negro Mercedes Batista e na UENF Coletivo Negro José do Patrocínio. Por último foram realizadas entrevistas semiestruturadas que foram de suma importância para o entendimento de como os estudantes afro-brasileiros se sentem ao fazerem parte um espaço ainda majoritariamente branco. Enquanto resultado dessa pesquisa foi possível perceber que a necessidade de permanecer na universidades fez desses espaços territórios de resistência dos estudantes afro-brasileiros. Adotou-se como metodologia um levantamento bibliográfico sobre os conceitos de território e territorialidade.
URI: http://bd.centro.iff.edu.br/jspui/handle/123456789/1928
Aparece nas coleções:Trabalhos de Conclusão de Cursos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Texto.pdf603,4 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.