Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bd.centro.iff.edu.br/jspui/handle/123456789/160
Título: O papel da mídia e o ensino de geografia
Título(s) alternativo(s): a construção da representação da reforma agrária no imaginário de educandos do terceiro ano do ensino médio
Autor(es): Souza, Jane Maria de Alexandre de
Palavras-chave: Pós-graduação em Ensino de Geografia
Reforma Agrária
Geografia - Estudo e ensino
Data do documento: 2013
Orientador(a): Ludmila Neves Haddad
Abstract: In the end of the 90's the North Fluminense region, settled the fight for land in the state of Rio de Janeiro, remarkably in Campos dos Goytacazes, occurred the largest number of land possession and expropriations and also where there is still the biggest percentage of landless rural workers camping of the state. We know that the discussion on land reform happens in the academic circles, in political meetings, media and in the Geography teaching. In face of this, the present paper investigated the role of media and geography teaching in the construction of the representation of land reform in the 3rd grade high school students of two schools (Federal Institute of Education, Science and Technology Fluminense - IFF Center Campus and School State Rebel Nelson Pereira / EENPR - Travessão / 7th District) Campos dos Goytacazes/RJ. We build and analyze structured forms, applied to the universe of students present in the classroom that gave us support to check how media plays the mystifying "role" regarding MST. The results showed the importance of the teacher in the classroom, exploring the issue making use of available tools to demystify and make clean some (pre) concepts built by media taken as fact by many people. And also contributing go that the learners understand the purpose of MST, and realize the commonly hidden reality in classroom and chiefly in the media.
Resumo: No final da década de 90 a região Norte Fluminense, foi palco da luta pela terra no Estado do Rio de Janeiro, notadamente em Campos dos Goytacazes, onde ocorreu o maior número de ocupações e de desapropriações de terras e onde ainda se concentra o maior percentual de acampamentos de trabalhadores rurais sem terra do Estado. Sabemos que a discussão sobre Reforma Agrária encontra-se atual nos círculos acadêmicos, nos debates políticos, na mídia e no ensino de Geografia. Diante disso, o presente artigo investigou o papel da mídia e do ensino de Geografia na construção da representação da Reforma Agrária em educandos do terceiro ano do ensino médio, de duas escolas (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense - IFF Campos Campus Centro e a Escola Estadual Nelson Pereira Rebel/ EENPR - Travessão/ 7º Distrito) de Campos dos Goytacazes/RJ. Construímos e analisamos formulários estruturados, aplicados ao universo de alunos presentes em sala de aula, os quais nos deram sustentação para verificar como a mídia exerce um “papel” mistificador com relação ao MST. Os resultados demonstram a relevância do docente em sala de aula e a necessidade de se explorar o tema utilizando-se das ferramentas disponíveis, para desmistificar e esclarecer alguns (pré) conceitos construídos pela mídia. Colaborando também para que os educandos entendam de fato os propósitos do MST, e percebam a realidade que é comumente mascarada nas salas de aula e na mídia.
URI: http://bd.centro.iff.edu.br/xmlui/handle/123456789/160
Aparece nas coleções:Pós-graduação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
O PAPEL DA MÍDIA E O ENSINO DE GEOGRAFIA.dot354 kBUnknownVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.