Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bd.centro.iff.edu.br/jspui/handle/123456789/1106
Título: Estudo da adição e subtração de números naturais por meio do sorobã
Título(s) alternativo(s): Uma proposta para a Educação Inclusiva
Autor(es): Pepe, Juliana Bernardo
Marvila, Mayck Gomes
Palavras-chave: Deficientes visuais - Educação
Matemática (Ensino fundamental) - Estudo e ensino
Professores de excepcionais - Formação
Data do documento: 6-Out-2015
Abstract: Research shows that the inclusion of students with visual impairment is a much discussed subject in Brazil since many laws guarantee them access, retention and quality education in mainstream schools. This essay aims to identify the possibilities and difficulties of using soroban in the teaching and learning of addition and subtraction of natural numbers by students in an inclusive class of the sixth grade, aiming to avoid a mechanical teaching of these operations. Thus, a didactic sequence consisting of three activities with contextual questions, sentences and direct mathematical calculations was elaborated. According to Vygotsky, visual impairment is sensory and not cognitive and therefore students with this disability have the same development capability of learning compared to a sighted student. The trial of the didactic sequence happened to an inclusive group of sixth grade of a municipal school in Campos dos Goytacazes - RJ. It is noteworthy that the use of soroban promoted significant learning for students. The results confirm the importance of using manipulatives material in mathematics classes so that students have equal access to the contents.
Resumo: Pesquisas realizadas mostram que a inclusão de alunos com deficiência visual é um assunto bastante discutido no Brasil, visto que muitas leis lhes garantem acesso, permanência e ensino de qualidade em escolas de ensino regular. Este trabalho tem como objetivo identificar as potencialidades e dificuldades da utilização do sorobã no processo de ensino e aprendizagem de adição e subtração de números naturais por alunos de uma turma inclusiva do 6º. ano, visando evitar um ensino mecânico dessas operações. Assim, elaborou-se uma sequência didática composta por três atividades com questões contextualizadas, sentenças matemáticas e cálculos diretos. Segundo Vygotsky, a deficiência visual é sensorial e não cognitiva e, portanto, os alunos com essa deficiência apresentam a mesma capacidade de desenvolvimento da aprendizagem de um aluno normovisual. A experimentação da sequência didática aconteceu com uma turma inclusiva do 6º. ano de uma escola municipal de Campos dos Goytacazes – RJ. Vale ressaltar que o uso do sorobã promoveu uma aprendizagem significativa para os alunos. Os resultados confirmam a importância de utilizar materiais manipuláveis nas aulas de Matemática para que os educandos tenham acesso igualitário aos conteúdos.
URI: http://bd.centro.iff.edu.br/xmlui/handle/123456789/1106
Aparece nas coleções:Trabalhos de Conclusão de Cursos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Documento.pdf1,68 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.